Apresentação de Nova Integrante

Olá meu nome é Larissa, sou natural da cidade de Palmeira d’Oeste localizada no noroeste paulista. De família tradicional de agricultores, no ano de 2007 iniciei meus estudos na área agrícola, cursando o curso Técnico em Produção Agropecuária integrado ao ensino médio, na ETEC-Jales Doutor José Luiz Vianna Coutinho, onde, tive certeza que tinha escolhido a profissão certa para minha vida.  Após terminar o curso técnico, ingressei na UNICASTELO -  Universidade Camilo Castelo Branco, cursando o curso de Agronomia.

No decorrer do curso o leque de possibilidades de atuação nas áreas de trabalhando foram se expandindo cada vez mais, até que conheci o meu orientador da graduação Luiz Sérgio Vanzela, que trabalha na área de hidráulica e irrigação, na qual realizei minha iniciação científica e meu trabalho de conclusão de curso. Durante minha caminhada na graduação tive o privilégio e a honra de ser apresentada ao professor Fernando Braz Tangerino Hernandez o qual hoje posso chamar de meu orientador.

Hoje estou cursando Pós-Graduação em Agronomia – Sistemas de produção, na área de hidráulica e irrigação na UNESP– Ilha Solteira, irei trabalhar com técnicas de sensoriamento remoto aplicado ao manejo de irrigação na cultura do feijoeiro e tenho como orientador o Tangerino.

Variabilidade anual dos componentes da produtividade da água na bacia hidrográfica do córrego Cabeceira Comprida, Santa Fé do Sul - SP

Na Semana do 26 - 29 de setembro em Edimburgo - Reino Unido, se realizara o SPIE - Remote Sensing for Agriculture, Ecosystems, and Hydrology. Neste evento, a Área de Hidráulica e Irrigação da UNESP da Faculdade de Engenharia de Ilha Solteira, se faz presente no Edinburgh International Conference Centre, onde o Prof. Dr. Fernando Braz Tangerino Hernandez, representara à UNESP.

Durante o ano 2014 o Estado de São Paulo enfrentou uma das maiores crises de água, somado a que o Noroeste Paulista tem até oito meses de deficit hídrico (falta de água). Fizeram com que a população e a agropecuária do Município de Santa Fé do Sul (em particular na bacia do córrego Cabeceira Comprida), sentiram a falta deste recurso durante o ano 2014.


Se observamos o comportamento da precipitação pluviométrica (chuva), evapotranspiração de referência (evaporação da água do solo + transpiração das plantas, particularmente da grama sob condições adequadas de manejo agronômico) e da radiação global (energia que vem do sol). Estas três variáveis (Precipitação - P, Evapotranspiração de referência - ET0 e Radiação global - RG), observadas numa escala anual nos permitem entender melhor como foi o comportamento "climático" em Santa Fé do Sul.


Mas, ainda o comportamento do agroecossistema desta bacia hidrográfica (do córrego Cabeceira Comprida) ao longo do ano, não pode ser observado. Razão pela qual foi utilizado o algoritmo SAFER, o qual utiliza imagens de satélite (Landsat 8) e dados de estações Agrometeorológicas para calcular a Evapotranspiração atual, Biomassa e a Produtividade da água.

evapotranspiração atual (ETa), é a água evaporada a partir do solo e/ou transpirada pelas plantas presentes na bacia hidrográfica do córrego Cabeceira Comprida, durante a passagem do satélite, e escalada para o período de 24 horas.




biomassa (BIO), expressa a quantidade de material vegetal seco produzido pelas plantas presentes na bacia hidrográfica do córrego Cabeceira Comprida, durante um dia.



E, a produtividade da água (WP), quer dizer a quantidade de biomassa produzida (kg) utilizando um metro cubico de água (m3). Este parâmetro é importante, já que nos diz que tão eficiente são as diferentes especies presentes na bacia hidrográfica do córrego Cabeceira Comprida, na utilização da água.


Se observadas estas variáveis (evapotranspiração atual, biomassa e produtividade da água) numa escala temporal inferior à normal, pode-se entender a bacia hidrográfica do córrego Cabeceira Comprida como um "ser vivo" dinâmico.


O trabalho que traz informações mais detalhas, pode ser consultado desde Coaguila et al., 2016 na versão In Press por enquanto.


Conheça um pouco mais sobre o nosso trabalho

  • Informações sobre agricultura irrigada e agroclimatologia no noroeste paulista são publicadas regularmente BLOG da Área de Hidráulica e Irrigação da UNESP Ilha Solteira em:
  • Dados e gráficos agrometeorológicos das estações agrometeorológicas no Noroeste Paulista estão em:
  • Canal da Área de Hidráulica e Irrigação da UNESP Ilha Solteira:
  • Canal no YouTube:
  • Canal CLIMA da UNESP Ilha Solteira:
  • Pod IRRIGAR - O Pod Cast da Agricultura Irrigada:
  • Fan Page no FaceBook:


E nossos alunos visitarama LINDSAY e a SENNINGER e há muito mais para ser lido e principalmente, pensado



Estivemos com os alunos da disciplina de "Manejo e Operação de Sistemas de Irrigação" do Programa de Pós-Graduação em Irrigação e Drenagem da UNESP acompanhados do Professor Doutor Rodrigo Roman - também Coordenador do Programa de Pós-Graduação - visitando as empresas LINDSAY América do Sul (em Mogi Mirim) fabricante de sistemas de irrigação tipo pivô central e Senninger (em Jaguariúna), empresa líder na fabricação de todos os tipos de emissores para irrigação. Ambas as empresas são americanas e tem no Brasil um importante parceiro comercial face o grande potencial para a expansão da agricultura irrigada em nosso país.



Na Lindsay fomos inicialmente recebidos pelo Diretor Presidente Márcio Santos onde tivemos uma verdadeira aula de tecnologia a serviço da agricultura irrigada, resultando em uma grande oportunidade de interação e integração entre a academia e o mercado de trabalho. Márcio chegou a pegar o pincel atômico e nos proporcionou uma verdadeira aula de administração, negócios e até mudanças climáticas e o futuro das empresas do setor - um privilégio -, enquanto que Bruno Perroni - Supervisor Comercial -  em seguida nos mostrou como a tecnologia dos sistemas pivô central e a sua tecnologia embarcada pode e deve ser trabalhada a favor da produção de alimentos com eficiência






Na edição de 15 de setembro de 2016 do [Pod Irrigar] - o Podcast da Agricultura Irrigada, Bruno Perroni foi o convidado e falou sobre a integração entre empresas e universidades favorecendo a  produção de tecnologias na área da irrigação.




Na empresa SENNINGER - líder na fabricação de emissores para sistemas de irrigação - fomos recebidos pelo Diretor Presidente da empresa Marcus Vinicius Schmidt e pelos Gerentes de Produtos Arthur Lyra e Gustavo Hossri quando nos foi apresentada ainda mais tecnologia, agora na aplicação de água para todos os fins, com uma tarde inteira dedicada e ensinar a aplicação de cada emissor, mostrando ainda mais tecnologia a serviço da agricultura irrigada para a produção de alimentos, ampliando a oportunidade de interação e integração entre a academia e o mercado de trabalho e somos muito gratos pela oportunidade dada pelas empresas e seus Dirigentes e Colaboradores
No dia 22 de setembro de 2016, o convidado do [Pod Irrigar] foi Marcus Vinicius Schmidt que sinalizou a relevância da visita dos alunos da UNESP na empresa de irrigação em busca de aprimoramento profissional.





Seminários em Irrigação
Na disciplina de Irrigação e Drenagem aconteceram os primeiros seminários com as seguintes notas: Água: pode acabar mesmo? O que fazer então?, nota  7,0. Outorga do direito do uso da água e as diferenças nas concessões no âmbito Federal e Estadual,  Nota 7,3. Reservação de água na propriedade: do que precisamos saber à viabilidade técnico-econômica, nota 6,3 e Perímetros ou Distritos de Irrigação: o que são, onde estão e qual a sua importância? Nota 10.

Transposição do Rio São Francisco
Governo relicitará obra de um trecho da transposição do rio São Francisco sob responsabilidade da Construtora Mendes Júnior que estavam praticamente parados serão relicitados pelo governo. De acordo com o Ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho, a empresa informou que não tem mais condição de continuar as obras de seus dois contratos, estimadas em R$ 1,2 bilhão. Os contratos firmados com o Ministério da Integração Nacional são para a construção das estruturas de engenharia da primeira etapa do Eixo Norte do empreendimento, que compreende a captação de água do rio São Francisco, em Cabrobó (PE) e outra próximo ao reservatório Jati, na cidade de Jati (CE), somando cerca de 140 quilômetros de extensão. Mas há grandes chances do canal estar construído e não haver água nas quantidades estimadas quando o projeto foi concebido. O maior reservatório de água do Rio, o de Sobradinho, deve chegar ao volume morto até o fim do ano. No fim do ano passado, ele chegou muito próximo disso. O governo está anunciando um programa de R$ 10 bilhões para revitalizar o rio. (Com mapa de situação).

Agropecuária
Mauro Zafalon informa que a pecuária prioriza produção de bezerros e vende menos fêmeas e também o feijão é o produto mais em falta nos supermercados do país. E o que mais está faltando? Maria Frias conta para nós!

Desmatamento - Conservação do solo
"Catastrophic Declines in Wilderness Areas Undermine Global Environment Targets" mostra que áreas selvagens da Terra estão desaparecendo à um ritmo que ultrapassou significativamente a sua proteção ao longo das últimas duas décadas. Apesar de sua importância ecológica, climatológica e cultural, áreas selvagens são ignorados em acordos ambientais multilaterais, destacando a necessidade de urgente atenção política global. E o estudo inclui o Brasil.

Fapesp subindo ainda mais a régua
Além de trabalharem em um ambiente científico sólido, onde não falta dinheiro, José Goldemberg, 88, presidente da Fapesp, em entrevista, defende a tese de que os pesquisadores paulistas devem ter a barra de qualidade de seus trabalhos colocada mais no alto

SPIE 2016

Balanço de energia na microbacia do córrego do Ipê, no município de Ilha Solteira

Energy balance in the watershed of Ipê, Northwestern of São Paulo State, Brazil


A região de Ilha Solteira passou entre os anos de 2007 e 2008 por uma grande mudança no uso e ocupação das suas áreas agrícolas, onde a cultura da cana-de-açúcar começou a se destacar ocupando as áreas que antes eram destinadas ao cultivo de pastagens e que na grande maioria dos casos se encontravam degradadas. Na tabela 1 é possível observar o aumento das áreas ocupadas pela cultura da cana-de-açúcar no município de Ilha Solteira entre o período de 2003 a 2011, assim como a relação entre a área onde a cultura foi considerada já como em estágio de desenvolvimento adulto e a área total.

Tabela 1. Área Total - AT (ha), Estágio Adulto-EA (ha) e EA/AT para a cultura da cana-de-açucar na microbacia do Córrego do Ipê no município de Ilha Solteira - SP

Data da Imagem
Área Total - AT
(ha)
Estágio Adulto – EA
 (ha)
EA/AT
23/06/2003
0,00
0,00
0,00
27/07/2004
0,00
0,00
0,00
14/07/2005
0,00
0,00
0,00
17/07/2006
0,00
0,00
0,00
04/07/2007
326,78
295,39
0,90
22/07/2008
1823,98
497,00
0,27
26/08/2009
2171,19
1348,22
0,62
29/08/2010
2166,34
1273,79
0,59
15/07/2011
2164,08
669,01
0,31

Essa grande mudança do uso do solo pode levar a uma mudança no balanço de energia, interferindo assim no microclima das áreas de cultivo assim como no seu entorno. Neste contexto esse trabalho teve como objetivo avaliar o balanço de radiação, utilizando técnicas de sensoriamento remoto através do algoritmo SAFER, que foi aplicado a 9 imagens entre 2003 a 2011 da microbacia do Córrego do Ipê, localizado no município de Ilha Solteira no noroeste paulista, que foi escolhida por representar bem essa mudança ocorrida com o uso das áreas agrícolas, além de apresentar características importantes como estar localizada na região de maior evapotranspiração no estado de São Paulo e por incorporar em sua área uma parte da zona urbana da cidade (Figura 1).

Figura 1. Localização da microbacia do Ipê  

Ao se observar os valores médios gerados pelas imagens, considerando um único valor para toda a área da bacia, os resultados obtidos demonstram um aumento nos valores de ETr, H/Rn, TS, Rl↑, Rl↓ e Albedo de Superfície, após a entrada da cana-de-açúcar na microbacia, enquanto os dados de NDVI, LE/Rn e Rn apresentaram uma redução nos valores médios, para o mesmo período o que pode demonstrar uma grande influência da entrada da cultura da cana-de-açúcar na alteração desses parâmetros do balanço de radiação.
De uma forma geral esses resultados indicariam que a cultura da cana-de-açúcar apresenta uma menor evapotranspiração do que a pastagem, fazendo com que a energia obtida por meio da radiação seja utilizada na forma de produção de calor, porém como se sabe que esta não é uma característica que realmente condiz com a cultura da cana-de-açúcar, se observou em um segundo momento alguns desses parâmetros para as áreas de pastagem, área urbana e para a cana de açúcar, sendo esta última área divida em duas parte, a primeira abrangendo as áreas com a cultura no estágio adulto e a segunda abrangendo as áreas que já haviam sido colhidas Figura 2.
 

Figura 2. Valores médios de ETr, H/Rn, λE/Rn e temperatura de superfície, para as classes de cana verde, cana colhida, pastagem e área urbana, ao longo dos anos.

Dessa forma foi possível se observar um resultado inverso ao encontrado quando a área da microbacia foi avaliada como um todo, ou seja, observou-se de uma maneira geral que a cultura da cana de açúcar apresenta uma maior evapotranspiração, fazendo com que a energia que é obtida por meio da radiação solar, seja utilizada na forma de evaporação da água o que diminui a temperatura local. Como pode ser observado na figura 3 que apresenta os valores de temperatura de superfície na microbacia no momento da passagem do satélite no dia 29 de agosto de 2010, onde as áreas de cana-de-açúcar (regiões de coloração verde escuro na imagem a esquerda), apresentam temperaturas menores que as demais áreas. 

Esses resultados demonstram que os valores obtidos ao se observar a área como um todo, foram altamente influenciados pelas áreas de cana-de-açúcar que já haviam sido colhidas, mascarando assim o verdadeiro comportamento da cultura.

Figura 3. Temperatura de Superfície na Microbacia do córrego do Ipê.

Maiores informações sobre o trabalho de qualificação que deu origem a esse trabalho podem ser obtidas clicando aqui.

PodIrrigar: Alunos da Unesp de Ilha Solteira visitam empresas de irrigação em busca de aprimoramento profissional

O PodIrrigar desta semana apresenta a visita dos alunos da UNESP Ilha Solteira à empresas de irrigação, buscando sempre o aprimoramento profissional. 
Marcus Vinicius Schmidt, gerente geral da Senninger Irrigação, sinaliza a relevância desta visita e a importância para o crescimento profissional e pessoal ainda na graduação. 

"Esta visita é importante em dois aspectos. Primeiro, a aproximação da empresa junto aos órgãos de pesquisa da Universidade e em segundo, a aproximação dos profissionais, sejam eles pesquisadores ou futuros técnicos de campo." - Marcus Vinícius Schmidt. 

Para conferir a entrevista, acesse o link: 


Você conhece o PodIrrigar? Ele é o PodCast da UNESP em parceria com a Área de Hidráulica e Irrigação da UNESP Ilha Solteira, divulgando semanalmente notícias e novidades sobre a Agricultura Irrigada e Agroclimatologia. 


Serviços: 

Conheça um pouco mais sobre o nosso trabalho, acesse:
- Informações sobre agricultura irrigada e agroclimatologia no noroeste paulista são publicadas regularmente BLOG da Área de Hidráulica e Irrigação da UNESP Ilha Solteira emhttp://irrigacao.blogspot.com
- Números e gráficos das estações agrometeorológicas no noroeste paulista estão emhttp://clima.feis.unesp.br
- Canal da Área de Hidráulica e Irrigação da UNESP Ilha Solteira: www.agr.feis.unesp.br/irrigacao.php
- Canal no YouTube: http://www.youtube.com/fernando092
- Canal CLIMA da UNESP Ilha Solteira: http://clima.feis.unesp.br
- Pod IRRIGAR - O Pod Cast da Agricultura Irrigada: http://podcast.unesp.br/podirrigar
- Fan Page no FaceBook: https://www.facebook.com/ahiunespilhasolteira

Fim do inverno e dia da árvore

Estamos chegando ao fim do inverno, que sempre apresentou temperaturas elevadas na região, porém este ano o destaque da estação vai para o índice de precipitação. 

De acordo com a Área de Hidráulica e Irrigação da UNESP Ilha Solteira que monitora o clima da região, as chuvas marcaram forte presença em Ilha Solteira, onde o mês de agosto se destacou como o mais chuvoso desde 1992, porém a precipitação durante toda a estação superou em apenas 3 mm o esperado.

Quando analisamos o período do inverno (de 20 de junho até hoje) em todo o noroeste paulista notamos uma grande desuniformidade, enquanto no município de Ilha Solteira a precipitação foi de 81 mm, na barranca do Rio Grande, no municípios de Populina e Paranapuã choveu apenas 32 e 30 mm, respectivamente.


Fonte: Canal Clima
Já partindo para uma análise das temperaturas, este inverno foi pouco mais ameno que o de 2015, com as temperaturas médias variando 62 e 69,8 °C no município de Pereira Barreto (diferença explicada pela diferença de altitude das estações Santa Adélia e Bonança), 66,4°C em Ilha Solteira e 67,8°C em Populina.

Fonte: Canal Clima
Dia da árvore

Hoje dia 21 de setembro, também é comemorado o dia da árvore, este simbolo da natureza tão importante no nosso dia a dia, que entre outros, retém a água no solo, controlam a temperatura ambiente, melhoram a Umidade Relativa do ar.
Fonte: Pensamento Verde.

A Área de Hidráulica e Irrigação da UNESP Ilha Solteira já demonstrou que a diferença de temperatura entre uma área construída e uma área verde pode chegar á 3ºC  dentro do mesmo condomínio, enquanto que a nível de Bacia Hidrográfica a diferença entre uma Mata Densa e uma Área de Solo exposto pode variar até 10°C.

Serviços: 
Conheça um pouco mais sobre o nosso trabalho, acesse:
- Informações sobre agricultura irrigada e agroclimatologia no noroeste paulista são publicadas regularmente BLOG da Área de Hidráulica e Irrigação da UNESP Ilha Solteira emhttp://irrigacao.blogspot.com

- Números e gráficos das estações agrometeorológicas no noroeste paulista estão emhttp://clima.feis.unesp.br

- Canal da Área de Hidráulica e Irrigação da UNESP Ilha Solteira: www.agr.feis.unesp.br/irrigacao.php

- Canal no YouTube: http://www.youtube.com/fernando092

- Canal CLIMA da UNESP Ilha Solteira: http://clima.feis.unesp.br

- Pod IRRIGAR - O Pod Cast da Agricultura Irrigada: http://podcast.unesp.br/podirrigar

- Fan Page no FaceBook: https://www.facebook.com/ahiunespilhasolteira

SPIE - 2016 Water productivity mapping using Landsat 8 satellite together with weather stations


O noroeste paulista é considerado uma região com potencial para o agronegócio e com destaque na fruticultura, cana-de-açúcar, pastagem e agricultura irrigada para a produção de diferentes tipos de culturas agrícolas que utilizam diferentes sistemas de irrigação para aumentar a eficiência e aumento de produtividade agrícola. O desafio do uso da água na agricultura é produzir mais alimento com um mínimo de consumo de água e minimizando os impactos nos recursos hídricos. A produtividade da água (PA) (water productivity) vai ao encontro desta questão, que considera a relação dos benefícios líquidos das culturas agrícolas pela água utilizada para a produção de um determinado produto, representando a relação entre o produto fresco (kg ha-1) pela unidade de água aplicada ou consumida durante o ciclo produtivo (m³ ha-1).

A intensificação da agricultura nesta região vem causando rápidas mudanças no uso e cobertura do solo e o surgimento de diferentes tipos de usuários da água para a produção de alimentos. Nestas condições, a estimativa em nível de bacia hidrográfica da produção de biomassa (BIO) (Figura 1), evapotranspiração (ET) e PA (water productivity) (Figura 2) são relevantes para o manejo e gestão dos recursos hídricos em diferentes escalas de estudo. As principais ferramentas para estas estimativas incluem o sensoriamento remoto por imagens de satélite e estações agrometeorológicas. 

O modelo para a estimativa da BIO é baseado em dados de radiação solar global (RG) obtidos em estações agrometeorológicas e no desenvolvimento da vegetação como proposto por Monteith com precisão aceitável (Monteith, 1972). Esse modelo pode ser usado com dados de satélite para a quantificação da variação espacial e temporal da BIO em diferentes agroecossistemas. A quantificação da ET é importante para a obtenção da PA, a qual pode se considerada como a razão entre BIO e ET. O algoritmo SAFER (Simple Algorithm For Evapotranspiration Retrieving) foi aplicado para a obtenção da ET.

Figura 1. Valores médios de biomassa e desvio padrão para cada dia juliano e ano.

Diante destes estudos, que envolvem a combinação de imagens de satélites e estações agrometeorológicas, a Área de Hidráulica e Irrigação da UNESP Ilha Solteira apresentará no dia 28 de setembro, em Edimburgo (Reino Unido), o trabalho Water productivity mapping using Landsat 8 satellite together with weather stations (Mapeamento da produtividade de água usando satélite Landsat 8 em conjunto com estações meteorológicas). O mesmo será apresentado no simpósio SPIE Remote Sensing, na conferência que envolve Agricultura, Ecossistemas e Hidrologia. O trabalho a ser apresentado tem como objetivo a determinação espacial e temporal da produtividade da água em bacias hidrográficas com diferesntes tipos de uso e ocupação do solo, usando imagens Landsat 8, estações agrometeorológicas e aplicações do modelos de Monteith e SAFER.


Figura 2. Produtividade da água, com valores médios e desvio padrão para cada dia juliano e ano.

O trabalho conta também com a parceira entre a UNESP Ilha Solteira e a Embrapa Sensoriamento Remoto, os apoios financeiros são da FAPESP, CNPq e ANA.

Chuvas atingem o Noroeste Paulista no final do inverno

Com o fim do inverno e quase entrando na primavera, que vai chegar no dia 22 de setembro, essa segunda-feira (19) começou com chuva e atingindo todo o Noroeste Paulista. Segundo a Área de Hidráulica e Irrigação da UNESP Ilha Solteira que monitora a Rede Agrometeorológica do Noroeste Paulista. Já estamos na segunda quinzena do mês de setembro e chegando ao seu fim, mas com a precipitação abaixo do esperado, diferente do que foi o mês de agosto que se passou. 

   

Em todos os municípios a chuva ainda está abaixo do esperado de acordo com a média histórica. E em destaque encontra-se a estação Santa Adélia, localizada no município de Pereira Barreto que acumulou apenas 13% do esperado para o mês todo. 

Seguida por Populina que acumulou apenas 15% do que é esperado para setembro e Paranapuã que registrou até agora apenas 18% do volume esperado para esse mês de setembro. Após um longo período de seca e com culturas como o amendoim, feijão e milho indo para o campo esse mês, precipitações foram registradas hoje, mas com baixo volume de água. 



Hoje (19) o dia foi chuvoso na maior parte dos municípios monitorados pela Área de Hidráulica e Irrigação da UNESP Ilha Solteira e com o maior acumulo de chuva o município de Marinópolis, 9,9 milímetros. 

Atingindo todo Noroeste Paulista a chuva em Ilha Solteira foi de 3,3 mm o que não é considerado um volume para recarregar o solo, pois apenas acima de 10 milímetros é adequado para a agricultura. Em Pereira Barreto na estação Santa Adélia registrou 9,4 mm e em Itapura o volume de chuva hoje foi de 5,6 milímetros

Chuva em Ilha Solteira às 14h
Serviços: 
Conheça um pouco mais sobre o nosso trabalho, acesse:

- Informações sobre agricultura irrigada e agroclimatologia no noroeste paulista são publicadas regularmente BLOG da Área de Hidráulica e Irrigação da UNESP Ilha Solteira em http://irrigacao.blogspot.com

- Números e gráficos das estações agrometeorológicas no noroeste paulista estão em http://clima.feis.unesp.br

- Canal da Área de Hidráulica e Irrigação da UNESP Ilha Solteira: www.agr.feis.unesp.br/irrigacao.php

- Canal no YouTube: http://www.youtube.com/fernando092

- Canal CLIMA da UNESP Ilha Solteira: http://clima.feis.unesp.br

- Pod IRRIGAR - O Pod Cast da Agricultura Irrigada: http://podcast.unesp.br/podirrigar

- Fan Page no FaceBook: https://www.facebook.com/ahiunespilhasolteira


Você sabe o que é Podcast?


Você sabe o que é Podcast?

O termo Podcast surgiu em 2004 e representa um tipo de mídia de transmissão de informações por áudios e vídeos, usando a internet como principal meio de comunicação.
O Podcast é como um programa de rádio, porém a diferença é que você pode escolher sobre qual conteúdo deseja saber, e até mesmo quando você quer ouvi-lo.

O Podcast da Unesp reúne entrevistas com escritores e profissionais de várias áreas que falam de suas criações e pesquisas, como por exemplo: irrigação, esporte, robótica, política, entre outros assuntos.

Um dos tópicos abordados pelo site, está o POD IRRIGAR, onde toda quinta-feira são transmitidas informações sobre agricultura irrigada, irrigação e agroclimatologia, que são também reproduzidas pelo canal da Área deHidráulica e Irrigação da UNESP Ilha Solteira.
Alguns temas abordados recentemente foram:

- Investimento em sistemas de irrigação aumenta rentabilidade na agricultura.
- Professor da Unesp indica procedimentos para garantir disponibilidade de água na agricultura.
- Por que realizar o manejo da irrigação? 
- Professor da Unesp destaca relevância da avaliação dos sistemas de irrigação e seus benefícios.

Ficou interessado? Para conferir o conteúdo do POD IRRIGAR é fácil, basta acessar o link abaixo escolher o conteúdo desejado e clicar no play, ou se preferir, você pode baixar o episódio ao clicar em download.



Conheça um pouco mais sobre o nosso trabalho, acesse:
- Informações sobre agricultura irrigada e agroclimatologia no noroeste paulista são publicadas regularmente BLOG da Área de Hidráulica e Irrigação da UNESP Ilha Solteira em http://irrigacao.blogspot.com
- Números e gráficos das estações agrometeorológicas no noroeste paulista estão emhttp://clima.feis.unesp.br
- Canal da Área de Hidráulica e Irrigação da UNESP Ilha Solteira: www.agr.feis.unesp.br/irrigacao.php
- Canal no YouTube: http://www.youtube.com/fernando092
- Canal CLIMA da UNESP Ilha Solteira: http://clima.feis.unesp.br
- Pod IRRIGAR - O Pod Cast da Agricultura Irrigada: http://podcast.unesp.br/podirrigar
- Fan Page no FaceBook: https://www.facebook.com/ahiunespilhasolteira

PodIrrigar: "Integração entre empresas e universidades favorece produção de tecnologias na área da irrigação"

E hoje foi dia de PodIrrigar!
Não perca o Podcast dessa semana, o qual aborda o tema:"Integração entre empresas e universidades favorece produção de tecnologias na área da irrigação". Em entrevista, Bruno Leite Teixeira Perroni, supervisor regional de vendas da Lindsay América do Sul, faz um panorama da visita de pós-graduandos da Unesp Ilha Solteira na empresa. 
Confira através do link: 




Serviço:
Conheça um pouco mais sobre o nosso trabalho, acesse:
- Informações sobre agricultura irrigada e agroclimatologia no noroeste paulista são publicadas regularmente BLOG da Área de Hidráulica e Irrigação da UNESP Ilha Solteira em http://irrigacao.blogspot.com
- Números e gráficos das estações agrometeorológicas no noroeste paulista estão emhttp://clima.feis.unesp.br
- Canal da Área de Hidráulica e Irrigação da UNESP Ilha Solteira: www.agr.feis.unesp.br/irrigacao.php
- Canal no YouTube: http://www.youtube.com/fernando092
- Canal CLIMA da UNESP Ilha Solteira: http://clima.feis.unesp.br
- Pod IRRIGAR - O Pod Cast da Agricultura Irrigada: http://podcast.unesp.br/podirrigar
- Fan Page no FaceBook: https://www.facebook.com/ahiunespilhasolteira

AGENDA DE EVENTOS

Em Edinburgh, Escócia, Reino Unido, de 26 a 29 de setembro de 2016
Áreas de interesse: Remote Sensing for Agriculture; Ecosystems and Hydrology; Coastal Waters; Large Water Regions; Sensors, Systems, and Next-generation Satellites; Remote Sensing of Clouds and the Atmosphere; SAR Image Analysis, Modeling, and Techniques; Image and Signal Processing for Remote Sensing; Earth Resources and Environmental Remote Sensing/GIS Applications; Lidar Technologies, Techniques, and Measurements for Atmospheric Remote Sensing e High-Performance Computing in Remote Sensing.

- CRHIAM INOVAGRI International Meeting
O CRHIAM INOVAGRI International Meeting acontecerá em Concepcion - Chile entre os dias 24 e 26 de outubro de 2016. Inscrições até 19 de agosto de 2016 em http://www.inovagri.org.br/meeting/?page_id=820     Detalhes podem ser acessados a partir de http://www.inovagri.org.br/meeting


- SEMINÁRIOS SEMANAIS DA ÁREA DE HIDRÁULICA E IRRIGAÇÃO
Foram realizados seminários pelos integrantes da Área de Hidráulica e Irrigação da UNESP Ilha Solteira, das 18 às 19 horas na Sala de Reuniões do LHI e aberto aos interessados em geral. Conheça a programação!

OUTROS EVENTOS
O sítio do The Consortium of Universities for the Advancement of Hydrologic Science, Incorporated (CUAHSI) apresenta uma agenda de eventos. Confira: http://www.cuahsi.org