Notícias da agricultura irrigada em 3 de março de 2013

"Não creio que a questão primária seja a idade, mas a energia, uma espécie de ímpeto físico, moral, intelectual e espiritual - um apetite. É algo que todo líder precisa manter e estimular. Devemos prestar atenção, porque ele é um líder para mais de 1 bilhão de pessoas. Seu trabalho é muito difícil, e não só porque existem escândalos na organização que comanda." (Nancy Koehn, na FSP, 27/02/2013, p.B.4).

Início das aulas
Nossa conversa hoje é dedicada a todos os estudantes brasileiros e tratamos deste tema também em nosso PodCast desta semana, no Pod Irrigar. Mais um semestre se inicia em grande parte das universidades e sempre é o momento de reflexão e decisão. Vivemos numa época de constante mudança, em uma sociedade espantosamente dinâmica, instável e evolutiva e certamente correrá sérios riscos quem não perceber isso e ficar esperando para ver o que acontece. Portanto, a adaptação a essa realidade será, cada vez mais, uma questão de sobrevivência.

Uma sociedade em desenvolvimento exige rompimento, mudança e novidade em linguagem, conceitos e modos. A cada dia que passa os produtos concorrentes ficam mais similares em termos de tecnologia e preços e estejam certos, o diferencial está e estará, portanto, na capacidade da empresa ou pessoas em se diferenciarem no mercado e este diferencial estará a cada dia mais na prestação de serviços.

É preciso inovar, não dá para apenas copiar e é preciso criar uma nova postura e reinventar o setor nosso setor. Mas como fazer isso? Com certeza com a capacitação, com estudos, dedicação e foco!


Aqui na UNESP Ilha Solteira ofereceremos a disciplina de Irrigação e Drenagem. Pense numa área agricultável de 119 milhões de hectares, sendo 30 milhões de hectares de área potencial para a agricultura irrigada e irrigamos apenas 5,5 milhões de hectares e incorporamos anualmente em torno de 140 mil hectares de área irrigada. Com todo este potencial de terras aptas à irrigação e mantido este ritmo de crescimento, levaríamos quase 200 anos para esgotar nossas potencialidades.

Aos estudantes e stakeholders da agricultura irrigada, pense no fato de que com irrigação garantimos produtividades elevadas, a irrigação é ainda considerada uma das ações mitigadoras ao aquecimento global, tem ação agregadora da economia, temos agora o marco regulatório definido na Política Nacional de Irrigação, entre outros benefícios, então, BEM VINDOS à um mundo de oportunidades representada pela agricultura irrigada!

Assim, fica a dica: vamos aproveitar a oportunidade e nos dedicar aos estudos, à capacitação técnica e vamos nos diferenciar, em cada área em que escolhemos atuar! Fé, obra e sucesso!

Em relação à disciplina de Irrigação e Drenagem, é recomendável um acompanhamento sistemático das aulas, não deixando para estudar somente na véspera da prova, pois operar a agricultura irrigada exige um conhecimento multidisciplinar. Na nossa primeira aula amanhã abordaremos as regras da disciplina, a bibliografia, as datas das provas, as atividades gerais e a introdução à agricultura irrigada e a irrigação. Também nas primeiras aulas faremos uma abordagem sobre o mundo dos negócios e as exigências do mercado de trabalho e a relação com o trabalho, liderança e empreendedorismo.

Temos, além das aulas e da bibliografia da disciplina - nada deve substituir os livros textos recomendados - várias mídias de apoio que complementam os livros e são baseadas na Internet: este Blog (marcador "aula" principalmente) onde o estudante encontrará não somente informações sobre a agricultura irrigada e irrigação, mas também desde dicas de leitura/livros, de música (entretenimento) à como crescer na carreira. O canal de conteúdo da Área de Hidráulica e Irrigação da UNESP Ilha Solteira traz os artigos publicados pela nossa equipe, fotos, ilustrações e acesso a todos os demais canais de mídia.

O canal CLIMA da UNESP Ilha Solteira oferece produtos que são gráficos e mapas de acompanhamento em tempo real de todas as estações e as principais variáveis climáticas, tais como temperatura, umidade do ar, velocidade e direção do vento, chuva, evapotranspiração, pressão atmosférica e radiação global e líquida, além da base histórica, tudo gratuito e com atualização a cada cinco minutos e é a parte visível da Rede Agrometeorológica do Noroeste Paulista foi implantada como parte do projeto “MODELAGEM DA PRODUTIVIDADE DA ÁGUA EM BACIAS HIDROGRÁFICAS COM MUDANÇAS DE USO DA TERRA”, financiado pela FAPESP. Por este canal facilmente se confere os números que mostram a mudança no tempo, de muito frio para a umidade relativa baixa, já crítica, que enfrentamos esta semana e sentida na garganta, nas narinas e nos olhos. Vários artigos técnicos já foram publicados a partir da execução deste projeto e estão disponíveis no canal TEXTOS TÉCNICOS do canal da Área de Hidráulica e Irrigação da UNESP Ilha Solteira e a TV Tem mostrou um dos nossos trabalhos que visa apoiar o uso eficiente da água. Confira!

No canal YouTube da Área de Hidráulica e Irrigação da UNESP Ilha Solteira são ofertados videos que complementam as informações divulgadas de maneira escrita. Por fim, a Fan Page da AHI da UNESP Ilha Solteira e nosso perfil no Facebook traz diariamente dicas de leitura, agricultura irrigada, negócios, música, cultura, entretenimento, carreiras, entre outros. Fiquem a vontade para acompanhar-nos! E apreciem sem moderação!

Datas das provas
1a. Prova (Peso 2) em 22 de abril, 2a. Prova (Peso 3) em 27 de maio e 3a. Prova (Peso 3) em 01 de julho de 2013. As P2 e P3 são com consulta de material auxiliar. Todas as provas serão às 16:00 horas. Nas manhãs que precedem as provas haverá apresentação de seminários. A recuperação será em 10 de julho às 10 horas.
MF = (2P1 + 3P2 + 3P3 + 2MR) / 10
MR = Seminários* e monografias** (* Notas diferentes para cada atividade, mas baseadas na média entre CONTEÚDO, MÍDIA e APRESENTAÇÃO; ** Pesos diferentes em função da dificuldade)

Como textos base para a nossas primeiras semanas de aula sugerimos os seguintes textos:


Como leitura adicional recomendamos a revista VOCÊ S/A como forma de acompanhar o que acontece no mercado de trabalho. Lembre-se também que desempenho e aprendizado depende da dedicação de cada um e estamos aqui para orientá-los para que tenham um ótimo futuro profissional. Aproveitem!

Comunicação e transparência de ações e do conhecimento
A Área de Hidráulica e Irrigação da UNESP Ilha Solteira para democratizar o conhecimento e a informação, utiliza diferentes linguagens na Internet para cumprir este propósito através do: canal de Conteúdo, canal CLIMA, BLOG, Canal YouTube e IRRIGA-L Grupo de Discussão em Agricultura Irrigada. Também usamos de forma complementar nosso perfil do Facebook para divulgar nossos trabalhos de ensino, pesquisa e extensão e interagir com sociedade como um todo. Existem outros canais mantidos por outras Instituições como o Forum da Agricultura Irrigada. Também confira o vídeo sobre como aprimorar seu networking.


Oportunidade - Monitoria
Estarão abertas no período de 4 a 8 de março de 2013 as inscrições para vaga de Monitoria neste semestre, na disciplina de “Irrigação e Drenagem”. O valor da Bolsa é de R$ 260,00 por mês e a carga horária semanal deverá ser de, no mínimo, 08 (oito) e, no máximo, 12 (doze) horas (Resolução UNESP nº 37, de 09.09.2008). O Exame de seleção será realizado na Sala de Reuniões do Departamento de Fitossanidade, Engenharia Rural e Solos, em 12/03/2013, às 14h. Detalhes no Edital 153/2012 em http://www.feis.unesp.br/Home/DTA/STA/editais/2012/153_Irrigacao_e_Drenagem_DEFERS.pdf

Irrigação em café
André Luís Teixeira Fernandes escreve um ótimo artigo sobre a irrigação por gotejamento em cafeeiros. Investimentos e qualidade da água são abordados. Confira!

A XVIII Fenicafé - Feira Nacional de Irrigação de Cafeicultura -, maior feira brasileira de irrigação e tecnologia da cadeia produtiva do café, será realizada nos dias 20, 21 e 22 de março de 2013 em Araguari, Minas Gerais. O XVIII Encontro Nacional de Irrigação da Cafeicultura no Cerrado, a XVI Feira de Irrigação em Café do Brasil e o XV Simpósio de Pesquisa em Cafeicultura Irrigada acontecerão simultaneamente, também na cidade de Araguari. "Com um público médio de 20 mil pessoas e aproximadamente noventa expositores, a feira é uma excelente oportunidade para empresários da agroindústria, produtores rurais, pesquisadores, estudantes e profissionais ligados ao agronegócio de se atualizarem e gerarem novos e melhores negócios", informa o professor André Fernandes, da Universidade de Uberaba (Uniube), instituição participante do Consórcio Pesquisa Café, cujo programa de pesquisa é coordenado pela Embrapa Café. Veja também!

Mudanças climáticas
Brasil desenvolve modelo próprio de análise de mudança climática, apresentado, nesta terça-feira (19), em São Paulo, o "Modelo Brasileiro do Sistema Terrestre", o primeiro sistema nacional de simulação do clima global, que traz como principal novidade em relação a seus similares internacionais a inclusão de características mais detalhadas do Brasil e do continente sul-americano. O sistema foi desenvolvido sob a coordenação do Centro de Ciências do Sistema Terrestre (CCST), braço do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). Segundo os cientistas, esse método de modelagem consegue, por exemplo, prever a influência do desmatamento da Amazônia nas correntes de ventos que seguem para outras áreas do planeta, além de determinar seu impacto no regime de chuvas do Hemisfério Sul.

As maiores cidades do Brasil devem participar de pesquisa global sobre mudanças climáticas. Reunir informações sobre as emissões de gases de efeito estufa (GEE), ações de mitigação e adaptação às mudanças climáticas das maiores cidades do mundo. Esse é o objetivo de um questionário da organização não governamental britânica CDP que já foi entregue a mais de 30 cidades latino-americanas, das quais 12 são brasileiras, e cujo prazo final para as respostas vai até 28 de março (os resultados serão divulgados em junho). Belém (PA), Belo Horizonte (MG), Brasília (DF), Campinas (SP), Curitiba (PR), Fortaleza (CE), Goiânia (GO), Porto Alegre (RS), Recife (PE), Rio de Janeiro (RJ), Salvador (BA) e São Paulo (SP) receberam em janeiro o convite para participar. Destaca-se também a participação voluntária de algumas cidades, como é o caso de Aparecida do Norte (SP). Em 2013 foram convidadas mais de 240 cidades no mundo todo, a grande maioria delas foi selecionada com base no critério de maior população. No entanto, qualquer município pode participar - aqueles que não receberam o questionário podem obter mais informações através do e-mail cities@cdproject.net. A equipe local do CDP encontra-se à disposição para esclarecer quaisquer dúvidas relacionadas ao projeto. "É muito importante que os municípios divulguem seus dados sobre emissões de gases de efeito estufa e sobre suas ações relacionadas a recursos naturais, como a água, por exemplo", afirmou Fernando Eliezer Figueiredo, diretor do CDP Brasil. "O CDP Cities oferece uma ferramenta para as cidades divulgarem e, ao mesmo tempo, entenderem riscos e oportunidades provenientes das mudanças climáticas para seus cidadãos e para os negócios locais." Segundo Figueiredo, muitos investidores e empresários já enxergam a importância financeira da análise das informações de como as cidades se preparam e combatem os efeitos destas mudanças. "Para o Brasil, atual palco de diversos eventos e investimentos internacionais, disponibilizar estes dados em projetos de alcance global como o CDP Cities é fundamental", defendeu o executivo.

Safra - culturas
Mauro Zafalon relata (FSP, 23/02/2013, p.B.9) que a renovação dos canaviais aumenta e rendimento da cana será maior no ano, que deverá crescer no centro-sul de 7% a 9% nesta safra 2013/14. A previsão é da consultoria Datagro, que condiciona essa alta à manutenção das condições climáticas próximas às que ocorrem normalmente. Os produtores estão otimistas. O clima foi favorável no ano passado à cana em formação e o aumento de área com renovação reduziu a idade média dos canaviais. Dados da consultoria indicam uma renovação de 20,5% dos canaviais na região centro-sul, taxa superior à média de 15% nos últimos 12 anos. Devido à oferta maior de cana, a moagem deverá ficar entre 580 milhões e 590 milhões de toneladas no ciclo 2013/14 na região centro-sul. Na safra que se encerra foram 536 milhões de toneladas.

Empreendedorismo
Um bom exemplo e inspiração para nossos alunas e professores/pesquisadores da nossa UNESP Ilha Solteira é a empresa Enalta. "Lavoura nada arcaica" é o tema da matéria na FSP (23/02/2013, caderno Mercado 2, p.6) que destaca a empresa Enalta de São Carlos. Única empresa brasileira no ranking de inovação da revista "Fast Company", a Enalta, que atende as 5 maiores usinas do país, levou automação e mais produtividade às lavouras de cana. Foi a única brasileira escolhida. Na 43ª posição, ficou à frente de empresas como o Tumblr. "A Enalta avançou enquanto as grandes indústrias brasileiras [de cana] vacilam", informou a revista. Para José Carlos Hausknecht, consultor da MBAgro, a inovação da empresa encontra terreno fértil no Brasil. "A pressão por aumento de eficiência no setor é grande, diante do problema de rentabilidade das usinas e da dificuldade de abertura de novas áreas de plantio", afirma. O equipamento mede dados como peso da cana cortada, velocidade da colhedora e verifica até se o limpador de para-brisa foi acionado, para saber se houve chuva durante os trabalhos. "Com a leitura de informações coletadas por mais de 20 sensores espalhados nas máquinas, conseguimos identificar problemas de produtividade e evitar acidentes", diz Manzoni. Ao atacar as ineficiências, o ganho de produtividade chega a 15% - ou "milhões de reais, dependendo da operação da empresa", diz Giandri Machado, diretor da Enalta. Saibam mais desta história!

A renúncia do Papa Bento 16 despertou o interesse e a imaginação de muita gente. Líder de uma organização com mais de 2.000 anos, o inusitado ato, traz reflexões. "A liderança pesa" é o tema da entrevista da "Harvard Business School Publishing" com Nancy Koehn, professora e historiadora da liderança na Escola de Administração de Empresas da Universidade Harvard, que discute as implicações da decisão de Bento 16 para os líderes do mundo empresarial, e afirma que há lições a serem aprendidas. Questionada sobre "Por que não costumamos falar sobre como é duro ser um grande líder?" Responde: Porque todos desejamos acreditar, de modo bastante romântico, que liderança é uma qualidade nata. Que os líderes são mais que humanos. Que são feitos de um material diferente, desceram do Olimpo para nos ajudar. Queremos acreditar nisso porque é uma coisa que nos entusiasma e nos leva a desejar trabalhar com eles. Isso estimula nossa esperança de que as pessoas dotadas de poder tenham um grande senso de responsabilidade, e possam oferecer respostas que não conseguimos ver. Há coisas boas nessa inclinação, nessa dissonância cognitiva. Mas ela não é real. Há algo de igualmente valioso, inspirador, em ignorar essa página do manual - a que diz que os líderes nascem assim, são especiais - e ler a página que diz que "os líderes são formados, e não só natos, e são formados de maneiras inesperadas. Eles reconhecem o quanto são humanos". Isso é o que permite que nos relacionemos com eles, que os sigamos e aceitemos os desafios que propõem. E também nos mostra do que as pessoas são capazes em termos de liderança com base no melhor de sua natureza. Conheça a entrevista completa!

In memorian
Tomaz Caetano Cannavam Rípoli (1947-2013) nos deixou domingo passado (24/02). Extrovertido, polêmico, era um dos meus amigos. Poucos sabem, mas foi ele em 1988 que me apresentou a profissional do Departamento de Recursos Hídricos da California, que por sua vez me abriria as portas da Universidade da Califonia em Davis e teria como desdobramento minha primeira visita à uma universidade americana e ainda a possibilidade de organizarmos o Simpósio Internacional de Fruticultura Irrigada, um grande desafio para a ocasião. Professor Titular da ESALQ-USP, teve na mecanização agrícola, com foco na cana de açúcar, sua área de atuação. Foi o primeiro a levantar o tema do aproveitamento de energia a partir do palhiço da cana. E desenvolveu projetos de colheitadeira. A FSP publicou em 27 de fevereiro (p.C.4) o seu obituário. E também o Jornalista Cecílio Elias Netto, no jornal A Província de Piracicaba (25/02/2013) presta a sua homenagem ao amigo com o artigo "O meu Caeta". Descanse em paz Caetano!

Entretenimento

2 comentários:

  1. Que esse semestre seja proveitoso para todos nós !Ótima resenha.Abraços.

    ResponderExcluir
  2. Obrigado... Para nós também no LHI - NACI, conto contamos com a sua determinação! Abracao e otimo semestre!

    ResponderExcluir